Bolo de Cenoura com Café preto.

Bolo de Cenoura com Café preto.

domingo, 31 de março de 2013

Bolo de Cenoura.

A Espanha em férias por causa da Semana Santa, aqui em casa foi dia de fazer Bolo de Cenoura. Na real, o bolo foi feito na Quinta Santa, primeiro dia do feriado no Brasil, mas quarto dia das férias de primavera espanhola. Resolvi pelo bolo de cenoura por dois motivos. O primeiro porque estava com a geladeira cheia de cenouras para ralar e comer no almoço. Tive receio de que, se não acabasse com elas, elas poderiam apodrecer. Daí, que a ideia do Bolo pareceu providencial, para a minha necessidade de consumo imediato. Depois, porque tem dias que estou com uma necessidade doente de cenoura e encontrei um outro jeito de ingeri-las diariamente. Porque no final, acabei com as cenouras da semana anterior, mas para essa semana já comprei mais. Como eu acredito que o corpo fala... é certo que preciso de Vitamina A na minha dieta! Daí, que vamos dar vazão às necessidades corporais! Segue o passo a passo da Receita.

Porém, no fim, sem querer, fiz uma homenagem à Páscoa brasileira, se pudermos dizer que foi uma homenagem. Afinal, no Brasil, Páscoa é sinônimo de Ovos ou Coelhinhos. Daí, que a receita junta, num feriado especial aos brasileiros, as matérias-primas da comemoração: cenoura e chocolate.

Um detalhe. Nesse dia, em específico, estava sem internet e não achei meus arquivos de receita mais antigos. Ou seja, não poderia consultar on line, qualquer receita, inclusive as minhas que estão nesse blog, nem minhas pastas, que certamente, estão no computador da minha mãe. A consequência disso é que tive de fazer de cabeça. Mas vamos lá.



 Essa foto aqui é de como o Bolo ficou ao final!


Cenoura ralada.
Ovos.
Chocolate.
Fermento.
Leite.
Óleo.
Açúcar.
Farinha de trigo.


Não vivo sem café, então, antes de começa qualquer coisa, "uma xícara, por favor".


Canela é uma dessas especiarias, que existe na Europa, desde o início dos burgos, na Era Medieval. Tem muitas serventias, uma delas esquentar. Bom, emagrecer também. Eu queria todas essas qualidades, mais o aroma e o sabor dela no café.


Cenouras raladas. Usei três.
Havia comprado cenouras raladas prontas, caso as que tinha em casa não fossem suficiente. Foram e não usei o pacotinho.


Acho que foram três xícaras de Farinha de Trigo.
Peneiradas.


Eu nunca entendo porque essas fotos saem diferente da forma como eu as anexo... Como eu não entendo de nada de computador, elas ficam assim.
Queria dizer que foi um pacotinho desses, de fermento.
Uma coisa interessante é que no verso de cada um desses pacotinhos tem um receitazinho legal.
Nesse aí, tem Tortilhas de Berinjela e Queijo. Acho que farei isso no fim de semana que vem...
Sou louca por Berinjela.


Bom, eis que Fermento, Farinha e leite ficam assim.


Havia colocado somente uma xícara.
O leite foi de sola.
Venho evitando o de vaca.


Meia copo de óleo.
Usei oliva porque não tinha outro.


Coloquei um pouco mais de leite porque achei que a coisa estava farinhosa demais.
Ao todo, foram um copo e meio de leite de soja.


Dois ovos.
Tem gente que usa mais, mas procuro evitar o colesterol ruim :D
Coloquei tudo de uma vez, clara e gema, me preocupando de retirar aquela pelezinha que dá o gosto de ovo na comida.


E eu mexi, alegremente, até colocar meia xícara de açúcar.
Ninguém quer doce açucarado, não é mesmo?


Esse foi o chocolate que usei. Não achei em pó, então ralei.

Meia barra ralada.


Antes de acrescentar o chocolate, coloquei as cenouras.
E continuei a mexer tudo alegremente.


Bom, chegou a hora de fazer a calda de chocolate.
Coloquei meio copo de leite para ferver.


Enquanto isso, bolo vai para a fôrma.
Tá tudo laranjinha!


Coloquei o chocolate ralado para derreter e aos pouquinhos consegui uma boa coloração.
Do jeito que eu queria, claro.


Ficou quase um brigadeiro, de ladinho...


Acrescentei meia lata de leite condensado.


E, enquanto a calda esfria e o bolo está no forno médio por 30 minutos, lavar os pratos!
Cozinha suja junto com comida cheirozinha pronta, é o ó!


Bolo pronto, sai do forno!
Detalhe: eu deixei menos tempo do que deveria. Achei que precisaria cozinha um pouco, mas como não conhecia a potência do forno, acabei queimando as bordas antes que estivesse todo bom. Daí, que ficou gostoso, mas um pouco esquisitinho. Ficou ótimo para mim, para o meu café da manhã, mas eu não ofereceria a nenhum convidado o resultado da aventura de hoje, hehehe. Principalmente gente que eu acabei de conhecer...


Dividi o bolo em dois, para caber no prato, e, embora a foto não tenha foco, por dentro ficou assim.


E, com a caldinha por cima, ficou bem bonitinho e gostoso!
Feliz Páscoa!



domingo, 24 de março de 2013

Frittata di Spaguetti.


Hoje foi um dia de ficar em casa. O Sergi e a Marisa viajaram e eu acabei ficando em casa só, sem fazer nada. Aproveitei para lavar roupa e comer de vez em quando. A verdade é que comi muito o dia todo. Agora, por exemplo, não aguento comer mais nada... 

Bom, acontece que o Sergi fez ontem o que seria uma Fritada de Espaguete. Ele não me ensinou a fazer, nem me mostrou os procedimentos. Porém, me disse que em breve vai aparecer na TV CAT um programa de culinária em que ele e o pai dele são convidados para ensinar a receita da fritada. Parece que o programa já foi gravado e agora só precisamos saber quando vai ser transmitido. Isso implica que eu não vou aprender a Fritada pessoalmente, mas que terei que esperar o programa para aprender a fazer sozinha... A TV CAT é a televisão da catalunha e pode ser acessada pela Internet (http://www.tv3.cat/). O Sergi, embora catalão, é filho de um italiano que cozinha super bem e ainda produz chocolates... Super sensacional :-)

Bom, segue a foto da Fritada de Espaguete, ou Tortilha de Spaguetis, ou ainda, Frittata di Spaguetti.



Essa é a foto que o Sergi bateu quando comíamos o Pesto, na semana passada.





sexta-feira, 22 de março de 2013

Dia de sol e de saladinha...

Hoje abriu um sol na cidade de Barcelona, deixando o tempo com 16 graus centrígados. Sei que pode parecer bobagem, mas cada grau que faz esquentar a temperatura da cidade, mas eu fico super feliz quando bate um calorzinho.



Para não fugir à regra dos barceloneses, também pus a roupa para lavar. Está agora secando ao lado da bandeira do Barça.
 


Será que é possível ver todas as bandeiras do Barça penduradas nas janelas? Tentei colocar nessa foto algumas que eu consigo ver da minha janela. A quantidade sempre me surpreende.


Hoje passei boa parte do dia caminhando para resolver umas coisas no banco. Daí, que quando cheguei em casa e terminei de estender roupas, só me sobrou ânimo para uma saladinha. Coloquei algumas folhas verdes, que aqui já compramos picotadas, em pacotinhos, e coloquei no prato. Depois acrescentei um tomate maduro cortado em fatias, não muito finas. ao final ralei acho que duas cenouras e pouvilhei com pimenta preta em grãos e ervas finas. Ah, quase esqueci, pus grão de boco também! Para umedecer o prato, coloquei um molho pesto, aquele em conserva que o Sergi não gosta, e um pouco de azeite.


Ficou refrescante e super fácil de fazer para esse dia de solzinho. Acabei esquecendo de colocar um pouquinho de sal, mas no fim, ficou tudo bonzinho e eu estou satisfeita nessa sexta-feira!

quinta-feira, 21 de março de 2013

Noite da Caipiriña!



O Cantinho Brasileiro apresenta a "Noite da Caipirinha". Cantinho brasileiro é um bar que fica no Centro, perto da Estació de Metro Jaume I, bem perto da Catedral de Barcelona. Além de caipirinha, você pode encontrar muitos quitutes brasileiros, tais como as coxinhas de galinha, crocantes e cheirosas. Quem tiver oportunidade de ir, vai lá, que vai ser super legal!

Antes terminar o comentário, no entanto, gostaria só de dizer que três das fotos que aparecem nessa filipeta são minhas. Eu as tirei na última Feira da Diversidade Cultural de Terrassa. Tirei as fotos, na ocasião, e enviei para o pessoal da Apec (Associação dos Pesquisadores e Estudantes Brasileiros da Catalunha). Bom, ao final, são elas que ilustram o papelzinho que todo mundo, que quiser desconto na caipirinha, vai imprimir!




domingo, 17 de março de 2013

Marcela, percebi que você gosta de Pesto, "es verdad"?

Nas primeiras semanas que cheguei a Barcelona, passei a comprar muito pão. Eu já gosto de pão por natureza, mas aqui, eu gosto muito mais. Seja doce, salgado, mole (o que quase não existe), duro, é tudo muito adorável. Só que eu gosto muito de pão com manteiga, e muita manteiga. Mas eu também gosto de muita manteiga muito mole...

O grande problema da minha vida em Barcelona é que a manteiga não fica mole. Mantequilla é durinha, durinha em qualquer lugar da cozinha. Creio que só vá amolecer, se ficar ao lado do fogão, ou dentro do "horno". "Entonces" como irrigar o pão? o pão durinho dessa terra mediterrânea? 

Depois de muito pensar e cansar do azeite de oliva, eis que fui no supermercado para comprar algum molho interessante. Depois de muito olhar, optei pelo Pesto em conserva. Não era uma coisa muito pensada, só uma urgência de irrigar o pão já que minha manteiga não dava conta. Bom, comprado o pesto, adorei a ideia, e repeti um zilhão de vezes a compra e passei a usar o bendito molho em tudo que eu fazia.

O Sergi percebei que eu gostava do Pesto e acabou me perguntando se eu sabia fazer. Perguntou porque me viu comendo o molho que, para ele, parecia simples de fazer e, eu ainda estava comendo em conserva. Imediatamente, respondi que não, e ele, provocativamente, disse que sabia. Bendito dia em que resolvi comprar Pesto em conserva para comer com pão. Só assim, um dia eu iria aprender a fazer um Pesto de verdade, seguro?

Esse foi o almoço de hoje, do domingo, em comemoração ao Aniversário da cidade de Aracaju, 17 de março.



Antes de comer a pasta com o Pesto, deveríamos comer tomates cerejas com Mozzarela Fresca de Búfala.
Dois pratos.
Tomatinhos fatiados ao meio.


"Marcela, você gosta de comida picante?"
- Sim, não há dúvida. Minha comida é muito picante. Tradição da família.
Pimenta Preta ralada.


Sal a gosto.


Fios de azeite, generosos.


A Mozzarela de Búfala Fresca é vendida a menos de 2 euros no Mercadona, um super daqui.
Deixamos descansar um pouco antes de comer.


Enquanto a mozzarela descansa, retiramos os talinhos do manjericão e deixamos só as folhas para a receita.
Então,
Folhas de Manjericão.


Rala-se o queijo parmesão.
Que, a propósito, é uma delícia.


A massa para a Pasta foi caseira.
Super diferente.


Às folhas de manjericão, acrescentamos um dente de alho.


E colocamos a massa para cozinhar por 13 minutos.


Mais manjericão.

Bastante azeite.


Coloca no mixer.
Faz isso delicadamente, para não triturar toda a mistura.
Antigamente, o Pesto era feito no pilão. Hoje vai no mixer, com delicadeza.
Coloca-se o queijo e bate tudo junto.


Foi mal a foto turva, mas o molho fica mais ou menos assim.
Fico devendo uma melhor de outra vez.


Pasta pronta, coloca para escorrer e depois acrescenta o Pesto.
Ele em temperatura natural.


Uma parte do molho mexe com o macarrão na panela.


Mais Pesto.


Depois servimos nos pratos.


Mais molhos em cima dos pratos para deixar perfumado, bonito e saboroso!


Meu prato.


O Sergi, catalão, filho de pai italiano e, por isso, italiano, comendo a massa caseira, com o Pesto que acabara de preparar!


Ao final, ainda teve sobremesa. Não me lembro do nome, mas era de um chocolate divino! E, ainda tinha casquina de sorvete crocante para beliscar, literalmente.

Buon Apetitto!!