Bolo de Cenoura com Café preto.

Bolo de Cenoura com Café preto.

domingo, 7 de novembro de 2010

Bolo de milho com calda de ameixa.

Hoje foi o último pedaço do bolo de milho. É a segunda vez que faço e, esta, ficou melhor que a primeira. Dessa vez coloquei mais água na calda, ou não deixei que ela evaporasse tanto a ponto de que o açúcar caramelizado tornasse quase bala. Dessa vez, a calda ficou mais líquida. Consequentemente, a torta, mais úmida, mais amarelada. Bom, mais bonita e mais apetitosa.


Uma xícara de açúcar;
Uma xícara de água;
Duas xícaras de ameixa seca.
Na receita diz que coloque as sem caroço. Eu pus com caroço porque era mais barato.
Ficou bacana também. A ameixa depois de cozida na calda de açúca fica tão fofa, tão inchada, que tirar o carço fica super fácil.


Cozinha por cerca de 5 minutos ou até a calda ficar grossa. Cuidado para não deixar com a consistência de bala... : ) É um ótimo chup-chup, mas nada interessante para assar em uma fôrma de bolo...

Enquanto a calda não fica pronta, fazemos a massa.

Duas xícaras de manteiga.

Duas xícaras de açúcar cristal.
Mistura à manteiga até formar um creme esbranquiçado.
Na casa da mamãe pude recuperar minha batedeira : ) Mas todo processo pode ser feito à mão.



E bate um bocadinho...


Enquanto isso a calda ferve!


Dois ovos.
A receita original pede 4. Mas eu fiz com dois.
Lembre sempre de tirar a pele da gema. Do contrário, o bolo fica com gosto de ovo.
Entendo que comidas salgadas podem ser feitas com a gema batida com a pele, porque não é um problema comida salgada com gosto de ovo, a exemplo das tortilhas espanholas. No entanto, doce com gosto de ovo, de gema de ovo, não é nada legal. Portanto, ovos batidos sem pele de gema.



Uma xícara de leite.
Usei desnatado.



Duas xícaras de milharina, massa de fubá, ou massa de cuscuz. Vários nomes, mesmo conteúdo...
E continua batendo.


Bom, no meio da receita, descobri que não tinha farinha de trigo em casa...
Solução: armazenar a massa na geladeira, até ir ao supermercado.
A calda eu coloquei dentro do forno com a panela tampada.


Voilá: Farine de blé!
Duas xícaras de farinha de trigo, peneiradas.
Depois mexe.



Duas colheres de chá de fermento ou uma colher de sopa de fermento.
Mexe.



Ok! A fôrma tem teflon, mas nada como garantir que o bolo não vai grudar. Desse modo, é melhor untar...
Bom, manteiga primeiro; depois, farinha de trigo. No final fica bem bonitinho.




Enquanto não tinha farinha de trigo e a calda de ameixa experava no forno, ela endureceu. Virou aquela consistência de bala que não deveria ter... Por exemplo a colher está firme na calda sem que eu a segure...
Solução: mais um copinho de água e alguns minutinhos no fogo.


Caldinha mole, começamos a arrumar o bolo na fôrma.


Olha como fica bonitinho...
Agora é a vez da massa.



E tcharannnnn.


Vai ao forno médio, por cerca de 30 minutos, ou até o garfo, ao perfurar a massa assada, sair limpinho (ou quase...). 


Bolo pronto!
Coloquei na grade do fogão para amornar mais rápido. Assim o ar circular por baixo da fôrma.


Desenformado: uma fofura...


Quase igual a foto da receita...
Percebi que esqueci as raspas de limão para decorar. Pura displicência...
E fiz algumas modificações nas medidas, mas no fim ficou bem gostoso!!!