Bolo de Cenoura com Café preto.

Bolo de Cenoura com Café preto.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Bom, era a vez da Tarte Tatin para o Natal. Já me predispús a fazer essa torta um zilhão de vezes. Meu irmão é a maior prova disso. Volta e meia ele conta isso para alguém só para dizer o quanto sou obsessiva em conseguir algo, e perfeccionista, na medida em que o algo conseguido tem que ser perfeito, ou no mínimo, quase lá... De todas as outras vezes, não consigo estabelecer uma boa relação entre as maças e a massa, que nunca fica firme e acaba fazendo a torta desmoronar. Mas, depois de muito relutar em retomar a tão desafiante receita, resolvi pegá-la novamente. Afinal, será que depois de tanto tempo eu não seria capaz de ajeitar as maçãs com a massa?
No fim, ficou bonitinho e gostoso. Valeu a pena!


A receita da Tarte Tatin eu peguei do sítio da Ana Maria Braga, mas fim alterações em alguns detalhes.
Usei ao todo 16 maçãs, todas sem casca, sem cabinho e sem o miolo.
Acima, maçãs cortdas ao meio.


Maçãs descascadas e sem o miolo.
A ideia é que no meio da maça fique o círculo que estava o miolo com as sementes.


Para que as maçãs não escureçam: água e sumo de um limão.


Após descascar todas as maçãs, colocar em uma panela grande para cozinhar.
Dentro da panela:
1 xícara e meia de açúcar.
Água a altura das maçãs.
Alguns cravos.
Canela em pau e em pó (o quanto desejar).
Anis (se gostar).


As maçãs vão cozinhar por muito tempo. Talvez 45 minutos ou mais, dependendo da quantidade de água que usa-se para o cozimento. O ideal é deixar as maçãs bem amarelas quase transparentes e macias. Nesse ponto, as maçãs ficam parecendo pêssego. Após esse tempo, retirá-las da panela.


Caso na panela a caldinha que sobra ainda não esteja caramelada, mantenha no fogo por mais um tempo.


Caramelo pronto, hora de pôr as maçãs na fôrma.
Usei a fôrma com um furo no meio. Mas o bacana mesmo é aquela que tem o aro removível.
Caldinha primeiro, depois maçãs.
Todas elas ficam com o buraquinho virados para baixo, de um modo que, quando pronto, todas elas fiquem com o buraquinho para cima.

Maçã parecendo pêssego.


Todas as maçãs empilhadinas.


Caldinha para finalizar.


Enquanto a massa não estava pronta, coloquei as maçãs que sobraram em um tigelinha para entregar de presente ao meu professor de yoga.
Quando a torta estiver pronta, nos buraquinhos que ficam a mostra, nas maçãs de cima, é possível decorar com cerejas. Fica gosto e muito, muito, bonitinho.