Bolo de Cenoura com Café preto.

Bolo de Cenoura com Café preto.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Tarte Tartin de Bananas

Bom, de sobremesa para o Natal desse ano, teríamos novamente a Tarte Tatin, grande desafio da minha vida. Só que a desse ano, seria de bananas. Quando ainda estava no Rio, conversei com minha mãe sobre o que faríamos e se a torta de sobremesa ainda estaria de pé. Ela falou que sim, que todos haviam gostado no ano passado e que não teríamos problemas em provar mais um pouco do mesmo. Minha mãe gosta particularmente das Tartes porque são feitas de fruta. São preparadas com um caramelo de açúcar, mas na sua maior parte é só a frutinha cozida que nós comemos. Nem mesmo farinha e massa grossa temos para nos empanturrar, então, as Tartes são sempre bem-vidas lá em casa. No entanto, esse ano eu propus diferente: Faremos de banana, o que acha mãe?
- Excelente! Você sabe que eu prefiro banana nas sobremesas e torta de banana é sempre uma delícia!
Combinadas há cerca de um mês, na véspera do Natal, demos andamento a Tarte de Banana.



Preparamos primeiro a massa. Por um percalço do processo de transferência das fotos da máquina para o computador, não tenho mais o preparo da massa... Alguma coisa aconteceu, mas as fotos ficaram queimadas e não consigo ver, o processo de feitura. Vou somente colocar o que useu na receita:
2 xícaras de farinha de trigo. Como mostra na figura acima, usei uma peneira para distribuir bem a farinha.
2 colheres de sopa de açúcar.
1 colher de chá de fermento.
Misturei rapidamente e abri um buraquinho na massa.
Acrescentei:
1 ovo, sem pele!
4 colheres de sopa de manteiga.
Bom...
e sovei..., puxei, estiquei, cortei em vários pedacinhos até ficar assim, como na foto abaixo.
De acordo com a receita, "lisinha, em formato de bola, sem pegar na mão"!.


Plástico filme e depois descansa por uma hora.


Bunitinha e comportada!



Bacanas!
Um monte!



Descascá-las.


Peladas e cortadas em três ou quarto partes, longitudinais.


Caramelo:
1 xícara de açúcar.
1 limão espremido.
Cravo.
Canela em pau.
A receita original usa em pó, mas eu esqueci de comprar e não tinha em casa.
Também usa aniz, mas não é todo mundo que gosta.
Fiz só com estas coisas.


As bananas, diferentes das maçãs, ficam molinhas logo, então não deixei cozinhar por muito tempo.
Do contrário quebrariam e eu queria elas direitinhas, fazendo voltinhas.
E claro, fiz o possível para não cozinhar demais e depois ter bananas roxas.... Meu maior medo!
À medida que ficavam prontas ia colocando na fôrma.


Todo pronto ficou assim!


Levei mais de uma horinha para estirar essa massa. Não tenho muita habilidade com banabas, entonces...
Estirei a massa de uma forma que eu pudesse colocar ela no comprido na fôrma de bolo.


Tampei tudinho.
30' no forno.
Ou menos, talvez...


Tão bonitinho, douradinho.


 Mais de peeeeeeerrrtooooooo...


 Uma coisa que estava bem a fim de fazer, era deixar as bananas ainda amarelas. Já havia tentado fazer tartes de bananas e sempre ficavam roxas. Me dava um arrepio só de lembrar que faria novamente uma tarte, a pedidos de minha mãe que ficassem roxas, mas por incrível que pareça, ficaram amarelas!!! E bem direitinhas!

O bolinho uniforme!


A torta na mesa de Natal.
Peguei o que sobrou do caramelo das bananas e reserver para a hora do jantar.
Pouco tempo antes de colocar à mesa, dei uma esquentada e depois coloquei por cima das bananas.
A parte mais escurinha é o caramelo.
Depois decorei com ameixas, para ficar bonitinho...

A obra de arte e eu!


Família no Natal:
Eu, seu Zé Montalvão, Mainha, Dani, Ricardinho.

Voinho e eu!
Tá escurinha a foto, mas deu!